antiga pertubad-a
Stay Strong
THEME
“Eu duvido. Duvido que você não chame meu nome quando você sente falta de alguém, duvido que não sinta falta do meu carinho sempre tão sincero, falta de me contar como foi seu dia, as histórias da sua vida que sempre foram pra mim melhor do que qualquer novela. Duvido que você não me procure nas biscates que você pega por aí, sempre tão vazias. Vazias igual a sua liberdade idiota que nunca te serviu pra porra nenhuma. Talvez esse seja o nosso problema, eu sou completa demais pra sua vidinha mais ou menos. Eu sinto, eu penso, eu falo, eu te conheço, isso te assusta né? “Tô invadindo seu espaço? Desculpa.” Essa fui eu, durante todo esse tempo, me desculpando por que mesmo? Me diminui pra você ficar maior, pra você não me perceber entrando na sua vida. Se você pudesse sentir o quanto isso dói você quem iria se desculpar. Eu queria ligar pra você, e te falar sem pausas tudo que eu ensaio toda vez que você me magoa, mas nunca digo pra não te magoar, afinal você não me faz mal por mal, e talvez esse seja o pior mal que se possa fazer a alguém, tão natural. Bobagem, como se algum ensaio no mundo fosse me deixar firme depois do seu ‘alô’. Então é isso, tô te escrevendo. Sempre fui mais segura com as palavras. Tô te escrevendo pra talvez um dia te enviar, mas to escrevendo. E não é sobre você dessa vez, é sobre mim. Sobre o quanto eu sou boa, igual a mim tá difícil meu bem. Sobre como eu não preciso usar cinco centímetros de saia e um decote no umbigo pra ser mulher; Sobre como, ainda assim, só eu sei fazer de você um homem. Sobre muitas coisas, mas principalmente, sobre quantos homens eu poderia estar saindo nesse exato minuto. Não é com você, é comigo sabe? Por exemplo, eu te idealizo nesse momento como o melhor, não que você seja. Acho legal você brincar com a sorte, mas se eu fosse você não teria tanta certeza da minha posse assim. Talvez ninguém tenha te avisado ainda, então desculpa se eu vou te dar essa notícia sem te preparar antes, mas a porra do mundo não gira em torno do seu umbigo. Ficou chocado? Acontece. Só queria te dá um conselho, em nome da nossa amizade e meu carinho por você, tira uma mão da liberdade e segura um terço. Fica assim, agarrado nas duas coisas sabe? E reza, reza muito pra não aparecer ninguém que mexa comigo enquanto você fica brincando de não saber o que quer. Porque eu sou amor, e ainda que não seja o seu, essa é a minha essência. E você não deve acreditar muito nessa ideia, pelas tantas vezes que eu quase fui, mas um dia eu vou, sempre foi assim.”

posted on 8 months ago with 1 note · reblog
“Droga. Eu prometi que nunca mais ia escrever absolutamente nada para você. Nem cartas, nem versinhos, nem bilhetes que eu costumava fazer pra ti. E eu falhei com a promessa, não falhei? Então.. Estou me sentindo completamente ridícula agora, por ainda estar insistindo nesse erro chamado amor. E isso é totalmente auto-destrutivo, porquê apesar de tudo eu poderia viver muito bem sem você. É difícil? É, muito. Mas eu conseguiria. Eu costumava conseguir ser forte quando eu estava ao seu lado, porquê tu me fazia acreditar que eu era a mulher mais grandiosa do mundo. E agora… Estou me sentindo a mais fraca, inútil e idiota dentre todas. E aqui estou eu. Fazendo algo absurdamente errado. Escrevendo sobre você. E isso me faz mal… Porquê em cada palavrinha que escrevo, existe muito de ti. Suas falhas, suas manias, absolutamente tudo. E eu gostaria de dizer tanta, mas tanta coisa que poderia passar noites depositando tudo o que não deveria mais estar presente em mim. E agora eu choro.. Choro em perceber, que isso é uma grande bobeira da minha parte, e o quanto seria bom se esse sentimento fosse embora com as lágrimas. Derretessem o papel, e jamais voltassem. Nunca. Mas isso é impossível. É completamente fora do comum. Estou chegando a um ponto que nada vale a pena quando você está longe de mim. Quando o calor do seu abraço já não esquenta mais meu corpo. E que o adocicado da sua boca já não posso mais sentir. Eu confesso que tento admitir a mim mesma que te esqueci. Que você já se foi há muito tempo dos meus pensamentos. Mas só eu sei o quanto dói dizer isso, quando não é verdade. Porquê é muito mais fácil jurar a si mesma que já esqueceu, do que admitir que ama alguém mais que tudo na vida, que precisa desse alguém pra tudo. Pra se sentir bem. Cara, a maior dor da minha vida foi ver você partir, sem poder fazer nada. Sem correr atrás. Você só se foi.. E eu me culpo tanto por isso. Por ter sido tão idiota, por ter deixado tu ir. Por não ter pedido pra ficar. Por não ter deixado meu orgulho de lado, e correr atrás. Correr até já não encontrar mais forças. Mas eu tentei. Tentei continuar com essa situação. Eu lutei, cara. Lutei pra não deixar a gente se perder, para que preservássemos o que tínhamos de melhor. Mas como você, eu falhei. Falhei em tudo e isso já não é mais novidade para mim. Eu erro em tudo. Errei até em deixar que meu sentimento crescesse demais. Errei em me apaixonar por você desde que te vi. Mas o pior dos deslizes foi não ter deixado de te amar, mesmo quando você se foi. E veja.. Agora estou fazendo o que nunca deveria ter ousado fazer. Estou te pedindo para voltar. E no fundo, no fundo mesmo, eu sei que você vem. Eu sei que você ainda já não me esqueceu, bem lá no fundo. E eu vou lutar por você até minhas forças se esgotarem. Porquê você ao meu lado, é tudo o que eu quero neste momento. A saudade está doendo mais do que eu imaginava. Eu sinto tanto a sua falta. É um absurdo me render tanto a alguém, me entregar assim, tão fácil.”

posted on 8 months ago · reblog
“Ah, eu quero casar com você, ter nossos filhos e ter o prazer de olhar eles correndo e bagunçando a nossa casa, eu quero viver e aproveitar cada segundo e cada minuto ao seu lado. Eu quero olhar no fundo bem no fundo dos teus olhos e te dizer o quando te quero, quero te abraçar bem forte. Quero segurar nas tuas mãos pra não solta-las mais. Quero dormi ao teu lado, e ao amanhecer ser o primeiro ao te deseja “bom dia”. Quero tudo e muito mais, mas só quero se for com você.”

posted on 8 months ago with 1 note · reblog
“Nega. Nega o quanto você quiser, se faz de forte, de superado. Pode fingir também, finge que não sente mais nada e que não pensa mais. Mas cara, eu sei que é nome dela que vem na sua cabeça ao ler aquela frase bonita e clichê. Que ao se deitar é ela que domina seus pensamentos. Que ao olhar para alguma coisa que te faz rir, é lembranças dela que surgem na sua mente. Que ao olhar algum casal feliz, é imagens de vocês que aparecem no pensamento. Que ao ouvir aquela música, é dela que você lembra. Agora para de graça e vai atrás da sua felicidade, vai lutar pelo que tez faz bem, e para de tentar substituir, quem não se substitui. E vê se percebe que se até agora não deu certo com ninguém é por que é ao lado dela que você tem que estar.”
magicade-oz 

posted on 1 year ago with 3 notes · reblog
#Meus  
“Eu sei que a minha aparência aparente felicidade, mas sabe, eu realmente não sei o que eu sinto, só sei que eu to levando, to aguentando, fingindo que não percebo algumas coisas, passando outras, ou até mesmo colocando algumas magoas pra “de baixo do tapete”, pra ver se assim o sofrimento se torna mais fácil de se lidar, mas eu sei que no fundo, bem no fundo, onde nem eu e ninguém pode enxergar, aquela magoa que eu coloquei pra ”de baixo do tapete” está começando a deixar um buraco grande e irreparável, e talvez esse seja o motivo de algumas coisas terem perdido a graça, o sentido. Talvez esse buraco já possa estar tendo um reflexo na minha vida, talvez esse buraco tenha sido o culpado por essa mudança dentro de mim, mas que por fora é só mais um daqueles sorrisos que a gente põe na cara pra disfarçar aqueles sentimentos que ninguém além de nós mesmos precisa saber, naqueles dias que, a gente só espera que passe, pra chegar a noite e ter o alivio de tirar aquele maldito sorriso do rosto, deitar na cama, e desabar, chorar até não ter mais lágrimas, e poder sentir a sensação de ter tirado um peso enorme das costas, pra ter forças pra enfrentar o dia seguinte. E assim eu vou levando a minha vida, sem nenhuma certeza ou expectativa, pra evitar decepções, que é uma das grandes culpadas pelo estado da minha auto-estima, que aliás, não é muito animadora. Mas eu confesso que eu prefiro assim sabe, cansei de ficar esperando algo a mais das pessoas.”
magicade-oz 

posted on 1 year ago with 9 notes · via · source · reblog
#Meus  
“Eu sei que a minha aparência aparente felicidade, mas sabe, eu realmente não sei o que eu sinto, só sei que eu to levando, to aguentando, fingindo que não percebo algumas coisas, passando outras, ou até mesmo colocando algumas magoas pra “de baixo do tapete”, pra ver se assim o sofrimento se torna mais fácil de se lidar, mas eu sei que no fundo, bem no fundo, onde nem eu e ninguém pode enxergar, aquela magoa que eu coloquei pra ”de baixo do tapete” está começando a deixar um buraco grande e irreparável, e talvez esse seja o motivo de algumas coisas terem perdido a graça, o sentido. Talvez esse buraco já possa estar tendo um reflexo na minha vida, talvez esse buraco tenha sido o culpado por essa mudança dentro de mim, mas que por fora é só mais um daqueles sorrisos que a gente põe na cara pra disfarçar aqueles sentimentos que ninguém além de nós mesmos precisa saber, naqueles dias que, a gente só espera que passe, pra chegar a noite e ter o alivio de tirar aquele maldito sorriso do rosto, deitar na cama, e desabar, chorar até não ter mais lágrimas, e poder sentir a sensação de ter tirado um peso enorme das costas, pra ter forças pra enfrentar o dia seguinte. E assim eu vou levando a minha vida, sem nenhuma certeza ou expectativa, pra evitar decepções, que é uma das grandes culpadas pelo estado da minha auto-estima, que aliás, não é muito animadora. Mas eu confesso que eu prefiro assim sabe, cansei de ficar esperando algo a mais das pessoas.”
magicade-oz

posted on 1 year ago with 9 notes · reblog
“Sei que agora, nesse exato segundo, eu estou ultrapassando as barreiras que foram impostas a nós. Sei também que não devia estar fazendo isso, mas estou. E é pela última vez, eu juro. Você não tem noção do quão difícil está sendo lhe escrever de novo. A cada ponto final de cada frase o meu corpo se estremece, minhas mãos suam, meu pescoço estrala e eu sequer cheguei na metade de tudo o que quero te dizer. Aliás, acho que o fim do que eu sempre quis falar nunca esteve, de fato, próximo assim. Mas hoje é diferente. Eu não vim te agradecer, porque já fiz isso em outros milhares de textos. Eu não vim te xingar ou expor os seus defeitos, porque isso eu também já fiz. Eu não vim, em hipótese alguma, me rebaixar como em tantas outras vezes. Hoje, agora, eu vim fazer o que demorei muito tempo pra ter coragem suficiente: colocar um fim em tudo isso. E o tudo inclui você, eu, nós dois, suas cartas e a música “Vagalumes”. Eu queria que você soubesse que, querendo ou não, a sua presença na minha vida foi um divisor de águas nela. Seria em vão dizer o quanto você me fez bem, porque isso está cravado em quem eu sou. Ou melhor, em quem eu fui. Aquela garota que não sabia mais respirar, viver ou sorrir sozinha, hoje sabe - e como sabe! A verdade é que você me quebrou, cara. Do mesmo modo que me reconstituiu no início, no fim você me deixou trilhões de vezes pior. Eu pensei que com você eu era alguém melhor, mas era comigo que você se tornava alguém bom. E tudo o que eu senti, tudo o que eu te disse e principalmente tudo o que eu não te disse, tudo, tudinho, foi de verdade. Eu pensei que nunca conseguiria olhar pra outra pessoa com mais afeto do que eu olhava pra ponta do seu queixo. Eu pensei que nunca mais o meu coração se estremeceria tanto dentro do peito por outro alguém. Eu pensei que jamais deixaria de esperar por você, de querer você, de amar você. Mas eu estava enganada. Meu querido, você já foi meu. E admitir que não é mais, também não machuca mais. Será que algo dói em você, nem que seja o seu mindinho do pé? Não importa. Perguntas como “será que ele sente falta?” ou “será que ele volta?” deixaram de ter um valor significativo. O “será” não é mais uma hipótese amedrontadora. E isso é tão, mas tão bom de dizer. Talvez você conheça a sensação, afinal, ela o tocou primeiro. Mas o que importa é que ela, enfim, me tocou também: a sensação de liberdade. Olhe como eu respiro calma e tranquila agora. Olhe como os meus olhos permanecem sem lágrima alguma ao afirmar isso. Olhe como eu olho a vida colorida e risonha, mesmo sem você. O tempo passou, percebeu? Eu acabei de me dar conta disso. E o melhor: sem rastros tristes, sem traços de raiva, sem amargura alguma. Eu pensava que jamais me libertaria das correntes que me prendiam ao nosso trem, mesmo que ele estivesse sempre vazio, tanto de passageiros quanto de sentimentos. Eu me enganei, de novo. E nunca pensei que estar enganada trouxesse uma paz de espírito assim. Se você tiver seguido o meu conselho, posso ter a certeza de que continuas uma pessoa de bom coração. O seu objetivo não era me causar mal algum, eu sei. Mas o fim não justifica os meios e, infelizmente, os meios podem ser dolorosos. Eu joguei toda a culpa pra cima de mim, depois pra cima de você, até que a joguei fora. Não existe culpa. O que existe, na verdade, são dois corações calouros em busca da felicidade. E quem nunca quebrou a cara tentando ser feliz, não é mesmo? A gente não vai ter pena de morte por isso, por mais que tenhamos morrido inúmeras vezes nessa brincadeira estúpida de gostar. Alguém há de perdoar a nossa imprudência. A gente há de se perdoar, algum dia. Mas, hoje, eu queria que você tivesse a absoluta certeza que não existe mágoa alguma em mim. Eu sei que o seu maior medo era que eu te achasse um filho de puta, mas por incrível que pareça, eu não acho. Não mais. O seu nome já foi o meu maior medo de ser lido, a sua voz já foi a minha maior vontade de ser escutada, o seu rosto sempre vai ser o meu maior anseio. No fundo, no fundo, eu nunca vou deixar de gostar de você. Mas com certeza vou aprender a amar outras pessoas. Ou melhor, acho que já aprendi. Perdi a conta de quantas vezes eu quis você de volta, nem que fosse pra dizer que estava tudo bem, que estava comigo, que me ouviria a madrugada inteira se fosse preciso. Perdi a conta de quantas vezes quis te ligar pra você ouvir, através dos meus soluços, o tamanho da minha dor. Perdi a conta de quantas vezes implorei pra sentir de novo um pouquinho da felicidade que era estar ao seu lado. Perdi a conta, perdi o rumo, perdi você e me perdi de mim. Pensei que viveria para sempre dentro de um pesadelo sem fim, mas, pela terceira vez, estava enganada. Mas uma coisa é certa: eu nunca fui tão transparente quanto fui com você. Nunca, em toda a minha vida, me expus tanto a um sentimento. Nunca fiquei tão pele e osso na frente de alguém, mesmo que metaforicamente falando. O que eu quero dizer é que eu fui quem eu jamais pensei que seria. Você transformou as minhas partes ruins em partes toleráveis, e as minhas partes boas em partes invejáveis. Obrigada por isso. Obrigada, de verdade. Não queria que isso se tornasse cansativo, monótono ou exagero demais, mas você, mais do que ninguém, sabe o quanto eu odeio ser previsível e o quanto eu consigo ser isso quando escrevo. Ainda mais se o destinatário tem o seu nome. Queria que você soubesse que eu não sinto mais aquela compulsiva vontade e necessidade de encher papéis com trechos de qualquer coisa que me vem na cabeça. Hoje em dia eu silencio as minhas ideias e guardo as dores pra mim, como sempre fiz antes de quebrar as barreiras e compartilhá-las com você. Não dói mais, acredita? Dormir sem o seu “boa noite” não dói mais. Não ter o seu colo, o seu ombro não dói mais. Não dói ver as fotos, escutar as músicas ou sair de casa e conhecer gente mais interessante e divertida que você. Eu posso, enfim, dizer que estou curada. O tempo me curou de tudo aquilo que eu pensei ser incurável. E a vida tomou um novo rumo, eu estou seguindo outro caminho, a luz do sol nunca brilhou tão forte assim. É lindo admitir que o passado passou. Se você ler isso - e eu sei que você vai ler, um dia, mas vai - eu espero que nenhuma ponta de arrependimento te toque um pouco mais fundo. Mas espero, de todo o meu coração, que você encontre alguém tão bom ou até melhor do que eu fui ou tentei ser. Jamais duvide do quão maravilhoso você é, por favor. Eu prometo também jamais esquecer que, apesar de toda essa minha estrutura meio enferrujada, no fundo eu também sou esse tal alguém maravilhoso que você enxergava em mim. Chegamos ao limite. Fim do segundo tempo, baby. Vamos encerrar o placar de 0x0, pois tentar marcar qualquer ponto nesse jogo de alucinados é loucura - é tortura, pra ser mais específica. Não vou te pedir pra que não me telefone mais ou pra que pelo-amor-de-Deus-me-telefone. O triste é ver que todo aquele amor virou um mero “tanto faz”. E mais triste ainda é reconhecer que eu não tenho mais motivo algum pra fingir que sou forte o bastante e aguentar tudo sozinha. Eu desabo mesmo, choro mesmo, grito mesmo, bato o pé mesmo. A melhor parte de você ter saído da minha vida, é que eu tive espaço pra entrar nela. Por mais que não tenha mais sentido escrever sobre o que fomos, tampouco tentar escrever sobre outras pessoas procurando os seus traços no meio das palavras embaralhadas. Não foi perda de tempo te amar, te esperar, te querer. Mas confesso que seria perda de tempo viver pra sempre em uma bolha impregnada com o seu cheiro. Obrigada pela sua parte que me fez feliz, e obrigada ainda mais pela sua parte que me fez sofrer - ou melhor, crescer. Eu não queria que isso ficasse nostálgico, mas foi impossível. Peço perdão por isso, mas não me culpo por todo o resto. Não se culpe também. Foi bom e teve fim… Está tendo um fim. Se precisar ter a certeza de algo, eu te peço pra ter apenas de duas coisas: a primeira foi que eu te amei; a segunda é que essa é a última vez, em toda a minha vida, que eu escrevi sobre você.”
mdo

posted on 1 year ago with 1 note · reblog

"Eaí, bora para balada? Primeiramente, você chega na balada e observa que metade das mulheres estão com um vestido de elástico, já a outra metade está com uma regata branca ou top e por cima uma blusa fina, junto com uma saia alta ou short customizado. Usando o insistente perfume 212, Angel e Light Blue. Mas até aí tudo bem pois o uniforme faz parte. Não muito distante disso você vê alguns homens com uma camisa polo com “número 43” nas costas e um cavalo gigante no peito, perfume one million e a barriga saliente, com as mulheres mais bonitas da festa. Alguns gastando dinheiro que não tem, outros gastando por gastar e outros como eu agora, pensando em como funciona tudo isso… Nesse instante por algum motivo você se sente diferente daquelas pessoas. Culturalmente instruídos a sempre segurar um copo na mão seguimos o nosso caminho em busca de algo que no fundo não sabemos se realmente faz sentido. Alguns caras querendo se divertir e outros numa disputa inútil para ver quem é o mais frouxo. Frouxo simplesmente por não conseguir pegar uma mulher só com o papo, por não saber jogar esse jogo de homem pra homem, mas novamente até aí tudo bem..pois cada um usa e atira com as armas que tem. Em meio a tudo isso, me pergunto: onde está a conquista? Cadê o charme? O ato de arrancar um sorriso sincero, de você? Ficar com a mulher por ter falado a coisa certa na hora certa, sem sensacionalismo. Só acho que as coisas estão perdendo um pouco da graça. Então depois de consecutivas experiências dessas, você acaba vendo que o mundo de balada é muito limitado e o mais importante, que o que você tanto procura, não está e nem estará ali. De forma alguma estou dizendo que não gosto de balada, ou que balada é algo de pessoas “vazias”, mas infelizmente na maioria das vezes é isso que eu vejo, mulheres que só querem levantar seu ego e homens que acham que baixar um litro de bebida lhe faz ser o macho "top" da festa. Cada vez mais as pessoas têm a necessidade de mostrar ser uma coisa que não são, e principalmente terem seu ego exaltado. Agora só falta elas perceberem que isso não leva a lugar nenhum. Chegamos num ponto chave da sociedade, onde máscaras valem mais do que expressões, garrafas de bebida em cima da mesa valem mais do que apertos de mão e companhias falsas valem mais do que uma conversa sincera com a menina menos atraente da festa. Por fim entenda que você pode ser uma pessoa super charmosa, educada, inteligente ou qualquer outro adjetivo, mas se a outra pessoa não for equivalente, ela não irá perceber o quão valiosa você é


posted on 1 year ago with 1 note · reblog

memories-each-day:

Rebloga e confirma presença aqui http://www.tumblr.com/meetup/15302
Pagina do evento no Facebook http://www.facebook.com/events/422661137823724/?ref=ts&fref=ts
REBLOGA MESMO QUE NÃO FOR DE CAMPINAS !

posted on 1 year ago with 67 notes · via · source · reblog
“Para que ferir meu coração se você pode ferir o meu útero? Para que dominar minha cabeça se você pode dominar o mundo pequeno e errado que eu inventei?”
Tati Bernardi (via subjetivada)

posted on 1 year ago with 30 notes · via · source · reblog
>